Na UFBA, a luta por assistência Estudantil

Posted on 30 de março de 2011

0


Por Edielson Moreira, Diretor da UEB

 

A luta por assistência estudantil é carro chefe na UFBA há anos, integrando a pauta do movimento estudantil desde a década de 70. Na década de 90 houveram grandes impulsos, mas em 96 com o fechamento do R.U (Restaurante Universitário) houve um esfriamento. A partir de 2000 com as grandes greves dos professores acompanhadas de greves estudantis,  houve uma retomada nacional e local dessa luta.

Em 2000 a luta estudantil defendia reabertura do RU, mas o interventor Heonir Rocha (interventor, pois FHC o nomeou Reitor mesmo sendo o terceiro na eleição para reitor) fez um centro de convivência. Somente em 2004 com o Reitor Naomar Filho e a imensa greve estudantil de 15 de julho retomamos a luta ganhou mais força e fizemos o Consuni (Conselho Universitário) aprovar um R.U, que permaneceu na pauta do ME até começar a ser construído em 2005 e reaberto em 2010.

Após impulsão de 2004 aprovamos em 2005 como bandeira do 5º Congresso dos Estudantes a criação da Pró-reitoria de assistência estudantil. Em 2006 e 2007 conseguimos algumas conquistas como: compra de materiais para o R.U, reforma das residências universitárias e construção da residência da Garibaldi, que vale ressaltar não foi inaugurada até hoje. Mesmo com problemas de falta de transparência no orçamento a conquista da PROAE só veio por conta dos combates internos relacionadas a lutas nacionais, como a retirada do PL 7200/06, reforma de residências, das mínimas lutas à lutas mais gerais.

E os problemas continuam, o R.U reaberto em 2010, as residências universitárias, as bolsas auxílio dentre outras politicas de assistências estudantil não atendem a demanda que a cada ano piora com a entrada de mais estudantes na universidade e o não acompanhamento das verbas na mesma proporção.  Pra se ter uma idéia, o orçamento do PNAES (Plano Nacional de Assistência Estudantil) para a UFBA em 2011 é de 11 milhões e 200 mil Reais, mas só o contrato da empresa que presta serviço a UFBA no R.U é cerca de cinco milhões; cerca de 1200 estudantes recebem bolsa auxílio,enquanto só de estudantes cotistas são 11 mil.

Nesse sentido, o 1º Seminário de Assistência Estudantil da UNE que ocorrerá em São Paulo no dia 8 de Abril, é um bom momento para colocar na ordem do dia campanhas locais e nacionais de assistência estudantil, como aqui na UFBA a luta por transporte inter-campi e bandejão gratuito e nacionalmente a luta por no mínimo 600 milhões para assistência estudantil vindo do PNAES.